27 maio 2014

Qual é o limite do amor?


Eu não sou muito fã de novelas. Por acaso, estava vendo a revolta de alguns fãs sobre a novela das 8... Um tal de casal Luiza e Laerte estava causando o maior problemão. Quando dei uma pesquisada, descobri que era porque a moça resolveu ficar com o amor da vida da mãe dela rejeitando todas as advertências que recebia das pessoas ao seu redor.
Bem, para quem defende que o amor triunfa acima de tudo, fico imaginando qual exatamente o problema dela namorar o antigo amor de sua mãe: Seria porque ela "tirou" o amor das mãos da mãe, por que a diferença de idade é muito grande, ou por que não foram com a cara da menina mesmo?
Honestamente e parando para pensar, eu acho que não iria me deixar levar por esse suposto amor. Quer dizer, se eu sei que foi uma história que "destituiu" a vida da minha família, que o cara quase matou meu pai e que ele era um mulherengo, por mais que eu começasse a sentir atração por ele, trataria de me afastar e esquecer esse sentimento. Motivos? Respeito á minha mãe e á mim mesma. Agora, se fosse uma coisa arrebatadora, que você simplesmente não consegue viver sem a pessoa, é ouuuutra história. Será que ela está tão errada de viver um amor com um homem "renovado", que errou no passado mas está procurando melhorar como pessoa?
Bem, eu sinto uma certa competição entre mãe e filha: Em uma cena que vi no comercial da TV, Luiza dispara para Helena que ela está com inveja pelo fato dela estar com o homem da vida da mãe. Ok, ai já começou a desandar tudo: Eu acredito que esse Laerte seja um apaixonado pela "ideia" da Helena, e já que a menina é parecida com a mãe quando jovem, que por acaso é a última imagem que ele tinha em mente, é óbvio que ele se interessou de cara por ela. Já no caso de Luiza, talvez por nunca ter se dado muito bem com a mãe, e receber logo de cara a proibição "de você não pode ficar com ele" fez com que ela encontrasse um meio perfeito de desafiar á mãe. Será que a inveja não seria de Luiza ao invés de Helena?
Bem, partindo desse ponto, eu digo que se fosse minha filha eu não perdoaria pela "maldade". Pelo fato dela estar sempre procurando por Laerte e se insinuando para ele (talvez porque ela se sentisse valorizada?) ao invés de manter-se distante dele para tentar evitar o sentimento.
Se uma pessoa arruinou minha família, como posso além de perdoar, querer que algo aconteça de fato? Não bastava apenas dizer á ele que estava tudo bem e que ele se entendesse com sua mãe?

Abrindo este tema, gostaria de perguntar á vocês qual é o real limite do amor. Vocês acreditam que ele está mesmo acima de tudo e de todos, ou que existe muito além do nosso egoísta amor na vida?


4 comentários :

  1. Oie linda, tudo bem? Primeiramente eu queria falar que gostei sim do conto, agora preciso que você me envie um texto sobre você e seu blog, e também suas redes sociais =).
    Agora sobre essa reflexão de qual o limite do amor, acho que é uma coisa super complexa. Nessa história eu acho que eu não teria nem me aproximado de alguém que quase matou o meu pai, seria trazer o ódio e o rancor todos os dias, e acho que não a amor que dure a tanta tristeza. Agora, acho que o amor tem que se algo que te beneficie, que te acrescente, mas que não seja algo que te consuma. Você tem que amar a companhia de alguém, mas nunca ser dependente do amor e da atenção de alguém. Acho que o único limite do amor, é o amor próprio. Esse nunca pode ser ferido e nem tirado da gente. Beijos amore.
    http://sabrinaikeda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Marina, tudo bem?

    Adorei o seu blog! ;)

    Com relação ao post, também acho complexo dizer... e não sei bem definir. Depende do "tamanho" desse amor. É amor entre um casal? É amor entre mãe e filho (sim, porque sou mãe e olha... NADA é tão arrebatador quanto isso). E também acho que depende da pessoa. No caso da Luiza aí, pelo que você descreveu (eu não assisto a novela), eu acho que, no lugar dela, não conseguiria levar adiante a ideia, por mais que me sentisse atraída por ele.

    Postei sobre amor (e suas nuances) esses dias lá no meu www.elianalee.blogspot.com.br Passa lá qualquer hora pra conferir. Beijos ;)

    ResponderExcluir
  3. Sendo sincera?! Eu acho que essa novela é uma grande palhaçada. Primeiro, não tem como a Luiza amar o Laerte, porque ele entrou na vida dela há bem pouco tempo. Segundo, o comportamento que ela tem com a mãe dela - ela estando errada ou certa - é absurdo. No mundo real - pelo menos no meu - se um filho grita com a mãe, ele apanha ou pelo menos recebe uma punição. A Luiza é uma personagem de 18 anos, que não trabalha, depende dos pais pra manter o apartamento que divide, não consegue focar nos estudos da faculdade e ainda se acha no direito de querer e não querer coisas.

    Toda essa história com o Laerte nada mais é do que uma birra de criança mimada. Ela quer ficar com o cara apenas porque a mãe disse que não queria que ela fizesse isso. Se todos estivessem a favor, eu duvido que ela escolheria ficar com ele. Sem falar que essa relação é uma grande falta de respeito com a mãe dela, independente do passado dos dois.

    http://www.entreosmeusdramas.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Também não curto muito novelas, mas essa em especial é um pé no saco, muito sem noção, e parece que o autor gosta de irritar sabe. Os personagens são chatos, a história é chata, os atores dão sono, por mim se ela acabasse hoje não teria problema nenhum

    http://pequenamiia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir