22 agosto 2014

As primeiras impressões que ficam.


Sempre me disseram que a primeira impressão é a que fica. Por isso, devemos tentar causar boa impressão. Quando comecei a namorar meu atual namorado, me lembro que ele me apresentou muitas pessoas no início do namoro. Ele me apresentou a praticamente toda a família ao longo das primeiras semanas... Houveram pessoas que amei de cara, outras nem tanto.

Me lembro que estava sentada no quintal, observando os cães. Entrou uma moça que é parente deles (não vou citar nomes, mas como nunca posso falar O QUE PENSO no facebook, ou mesmo pessoalmente, porque sou censurada ou por ele mesmo, ou pela família, acho que posso desabafar no blog) e logo que eu vi eu pensei: Odiei ela.

Ok, odiei não. É uma palavra forte. Apenas não fui com a cara de jeito nenhum. Depois descobri quem era, conheci o marido dela (tive má impressão também) e começamos a conversar.

Inicialmente achava que ela era uma pessoa legal depois de falar com ela. Imaginei que ela fosse arrogante, venenosa. Mas ela se mostrou divertida e super gentil. Então ela se tornou alguém que eu realmente gostava.

Me lembro que por muitas vezes, tomei conta dos filhos dela, enquanto estava na casa do meu namorado. Eu brincava e ficava com as crianças, enquanto ela, que na época não trabalhava ficava na casa dela. Pois é. Mas eu acho super válido as crianças passarem um tempo na casa da avó.
Minhas melhores lembranças de infância foram na casa da minha vó... ♥

Enfim, me acostumei a dar broncas e chamar atenção delas, afinal, criança apronta. Graças á isso, um belo dia, estávamos todos reunidos, eu, as crianças, minha sogra, meu namorado e os pais das crianças.

Então, me lembro que a menorzinha fez uma arte, pegando as plantas da minha sogra, que ela não gostava que tocassem. Então, coloquei as mãos na cintura, sorri e disse:

─ As flores da vovó m*m*l?

Para que eu fiz isso? Me perguntem? Sério? Foi um erro. Pelo menos, não meu erro. O pai da criança, que por sinal é um grosso, começou a perguntar de forma exaltada qual o problema dela pegar a flor, se a planta era de ouro, quem eu pensava que era para falar assim com a filha dele, entre outras coisas como xingamentos. Na hora que ele começou a falar merd*, olhei para ele e dei risada, tentei levar na brincadeira e pedi calma.

Mas quando ele continuou não teve jeito. Soltei tudo o que eu pensava dele (ou parte né) e disse o quanto achava ele uma pessoa pequena. Pronto. Lá estava eu aos berros com um marmanjo que não sabe nada a vida, mesmo sendo mais velho que eu, e por ter sido interrompida pelo meu namorado e minha sogra fiquei com muita coisa entalada.

Subi pro quarto e chorei de raiva. Me lembro que minha sogra foi lá, disse que a casa era dela e que eu era muito bem vinda. Não deveria levar nada do que disseram á sério.

Mesmo assim, não quis mais trocar palavra com ele, e hoje em dia, nem eu nem meu namorado (acho por parte dele errado, afinal, é família dele... né?) falamos ou sequer olhamos para ele.

Na ocasião, sua esposa que era minha amiga ficou quieta. Ela disse que não concordava com o que tinha acontecido e ia ficar na dela.

Até aí achei super certo. Continuei falando normalmente com ela e sendo educada. Ok. Passou um tempo, e comecei a perceber que ela me dava sempre respostas ácidas, que ela era sempre levada pro lado ruim quando falava comigo.

Sempre que eu falava de alguma criança, ela encrencava comigo dizendo que eu falei mal dos filhos dela. Mesmo eu indo lá e me explicando, não demorava muito e tudo acontecia de novo. Eu sei que ela é uma pessoa influenciável, então achei que o marido dela estava enchendo a cabeça dela.

Mas teve uma hora que eu não aguentei mais. Ela era grosseira, me olhava de cima abaixo. Sério gente. Ela pode negar o quanto quiser e fazer a santa como sempre fez, mas eu vi um olhar nela, o mesmo que percebi no primeiro dia que a encontrei... Foi aí que me toquei. Quem é ela, afinal?

De neutra, eu não vi nada. Ela armava intrigas SIM, era mal educada de forma velada SIM.

Resolvi manter distância dela também. Toda hora minha sogra vinha comentar algo relacionado aquela parte
da família como se eu tivesse feito alguma coisa, mesmo sem intenção. Percebi que tinha vezes que ela me observava com um olhar diferente quando eu estava cuidando das crianças. Tudo muito suspeito, sabe??

Conversando com pessoas próximas, descobri que o marido dela arrumou encrenca com todo mundo. Não tinha UMA, gente sério, pessoa que eu falasse que não tivesse tido problemas com ela. Tinha gente que tinha até ficado ANOS sem falar com ele. Vê se o cara é normal? Enfim.

Mas o que eu descobri e fiquei chocada, foi que ela, a santa do pau oco, também tinha seus momentos. Por exemplo, teve uma viagem que todo mundo comentava. Disseram que foi um inferno. Ninguém me contava direito o que tinha acontecido, mas uma pessoa que também não vou revelar o nome ;p me disse detalhes.

O pai das crianças havia ficado com raiva de uma das sobrinhas de uma pessoa que foi na viagem, a menina tinha no máximo uns 9 anos gente! Ela não queria brincar com o filho mais velho deles, que na época era pequeno. A diferença de idade era boa, ela não tinha os mesmos interesses. Então, ele começou a MENOSPREZAR a criança e tratar ela super mal. Fez a menina ir mais cedo pra casa gente!

Então, descobri um detalhe chato. A esposa dele, dizia pro filho "Não fica perto de gente que não gosta de você" e puxava ele pelo braço sempre que o menino tentava se aproximar da garota. Imaginem como ficou a situação galera? Fala sério. Como duas pessoas pode estragar a viagem de todo mundo assim? Pois é.

Ela agiu dessa forma com uma CRIANÇA e detalhe: Ela achou que ninguém estava vendo. Mas uma pessoa, que é de muita confiança viu, e contou para essa pessoa que me contou tudo. Enfim. Ela foi pega.

Por isso, essa pessoa que me contou a história disse que não gosta dela, e acha ela falsa.

Depois de saber de tudo isso, eu imagino que realmente seja isso. Uma pessoa com uma vida infeliz, porque, ser chamada de VADIA pelo marido só porque passou maquiagem, não poder ter amigas ou sair de casa, é uma vida bem complicada. Imagino que ela queira descontar no mundo... Sei lá.

Mas porque contei tudo isso? Porque não é a primeira vez que tenho má impressão de alguém e acerto. Muitas vezes, conversei com a pessoa, dei uma chance e ela até se mostrou legal. Mas no fim?...

Por isso, queria saber de vocês: Acreditam em primeira impressão? Ou é bobagem? Me contem.

3 comentários :

  1. Minha intuição nunca falhou, então sempre que me acontece algo assim fico atenta, e que mala esse casal, maltratar uma criança de 9 anos? É o fim mesmo...

    ResponderExcluir
  2. Gente, como assim maltratar a criança? Olha, eu não gosto de crianças, mas nunca desprezei e nem fiz nada de ruim para NENHUMA, mesmo as infelizes que já quebraram coisas minhas...
    Acho um absurdo o cara querer achar ruim com você corrigindo os filhos dele sendo que, pelo que você disse, VOCÊ quem cuidava deles né. Aff, gente sem noção é foda.

    E acho que a primeira impressão é importante SIM, a gente deve ficar mais atenta e tudo mais quando não vai com a cara de uma pessoa, porém nem sempre ela é verdadeira. Uma das minhas melhores amigas parecia uma pessoa metida e arrogante, mas descobri que era só por que ela não estava confortável no momento.

    [N]ayh's Wonderland

    ResponderExcluir
  3. Olááá!
    NOSSA SENHORA! como você aguenta?! acho que familia a gente nao escolhe sempre teem um trapo sujo e nojento que acompanha.
    Acho que primeiras impressões são importantes sim, mas acho que não sempre refletem muito o que a pessoa realmente é. Meu maior exemplo é na faculdade, em que logo que entrei estava numa onda... mais arrumadinha, e logo fui taxada de patricinha metida... com o tempo a impressao mudou e aquelas que me taxaram hoje são SUUUPER minhas amigas! acho que as vezes o que vestimos ou gostamos pode trazer uma primeira impressão muito enganosa!

    Um beeijo Lara.
    Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

    ResponderExcluir