09 junho 2015

O que aprendi com os relacionamentos passados?


Uma das postagens do Rotaroots desse mês é sobre o que aprendemos em relacionamentos passados. Isso cai como uma luva pra mim, já que este dia dos namorados estarei sozinha, pela primeira vez em muitos anos.

Sinceramente, não é algo que me abala. Mas claro que bate aquele frio na barriga de: E agora? Eu estou numa fase da vida, que quero alguém pra completar meus sonhos e criar um futuro comigo.
Obviamente, nenhum dos meus ex namorados eram A escolha pra este sonho. Então, o que podemos fazer senão seguir o tempo e deixá-lo agir?

A principal coisa que aprendi com o fim de relacionamentos amorosos, foi me amar. Me aceitar. Saber que eu importo, sim! A parar de fazer mais pelos outros do que faço por mim, a dizer NÃO se eu não quero algo e manter minha opinião sem me sentir culpada ou balançada por chantagens emocionais.

Aprendi que, eu mereço sim um BOM DIA ou BOA TARDE e um COMO VAI VOCÊ? Todos os dias, e que querer o mínimo de preocupação não é exigir coisas das pessoas. É esperar o mínimo de um relacionamento.

Em um relacionamento, devemos aprender que ambos devem doar e receber. Que se apenas um dos lados recebe e o outro fica carente, seja de amor, carinho, atenção, respeito ou o que for, algo está errado. Equilíbrio faz parte. E ambos devem se importar. Ambos devem querer que isso dê certo.

Não adianta sonhar sozinha. Muito menos tentar sozinha. Aliás, se é preciso "tentar" que o relacionamento dê certo, pare. O relacionamento tem que dar certo. Tem que fluir. As ideias precisam bater, e os sentimentos estarem na mesma sintonia, porque acreditem daqui um ou dez anos a casa vai cair. E quando cair, vai levar tudo junto, até mesmo os sonhos e sentimentos.

Eu sei que estou sendo dura e melancólica, mas acreditem, estão apenas lendo verdades. Acredito que em minha pouca idade, ainda tenho muito o que aprender. Mas algumas coisas já ficaram claras pra mim: Por exemplo, apenas amor não sustenta um relacionamento.

Imaginem um prédio. Quando ele se ergue, inicialmente ele precisa da estrutura. Pensem nessa estrutura como o amor, e o prédio como o relacionamento. Já se imaginaram morando em um prédio como este?


Onde APENAS existe amor? Pois é. Um prédio não se ergue sem estrutura, mas também não é habitável apenas sendo estrutura. Ele precisa de acabamento, de portas, janelas, paredes, tinta. E isso, em um relacionamento pode ser visto como carinho, inovação, respeito, sexo, diversão, preocupação, doação.

Então, iludem-se aqueles que imaginam um relacionamento de conto de fadas. Onde o amor verdadeiro vence todos os obstáculos e todos vivem felizes para sempre.

Não rola gata.
Por isso, precisamos sim ter auto estima elevada. Se deixarmos a deprê atacar, o outro pode e irá montar em cima disso. Também precisamos saber que o amor da nossa vida veio para agregar felicidade, não ser felicidade. Tenha seu emprego, seus sonhos, sua estrutura, sua V I D A. Com ele, ela será muito melhor. Sem ele, ela será muuuuito boa também.

Foi isso que aprendi dos meus antigos relacionamentos. Não sei se aprendi tudo certo, se ainda faltam muitas coisas, mas por enquanto posso passar isso pra vocês :)


7 comentários :

  1. Gostei dessa comparação com o prédio, vc falou muitas verdades no seu texto, por incrível que pareça uma das coisas que aprendi com meu ex marido foi ser pontual rs ele era muito chato nesse assunto e eu bem tranquila leia-se relaxada mesmo, então aprendi na marra respeitar horários e ser pontual e isso fez uma grande diferença na minha vida.

    ResponderExcluir
  2. Vim ver o seu post pela blogagem coletiva do Rotaroots e adorei ver que você usa um layout que eu disponibilizei no Garotas Dizem. Suas edições deixaram ainda mais lindo <3

    ResponderExcluir
  3. O prédio é a comparação mais realista! Sem uma base, sem uma estrutura impossível manter a relação =D

    ResponderExcluir
  4. Amor por amor não se sustenta sozinho, né? Adorei.

    ResponderExcluir
  5. Linda! Você amadureceu com os relacionamentos anteriores e tenho certeza que vai encontrar alguém que valha a pena e aí saberá valorizar tanto esse amor (devido as experiências anteriores). Sei disso porque antes de encontrar o meu esposo já tive muitas decepções, porém tudo de ruim que aconteceu no meu passado serviu de lição para que eu aprendesse a valorizar a pessoa que me ama. Beijos e sucesso, flor! www.janelasingular.com.br

    ResponderExcluir
  6. Achei lindo isso que você escreveu.
    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Marina, tudo bom? (((:
    Adorei o seu texto e a forma objetiva que tratou o assunto. Também gostei muito da analogia que fez usando o prédio (sério, realmente muito boa!) e da conclusão que deu ao seu texto. Não sei se a minha visão de relacionamentos é a correta, levando em conta que nunca estive em nenhum, mas realmente acredito que não devemos depender de ninguém para sermos felizes. Nós devemos ser a nossa própria felicidade, independente de estar em um relacionamento ou não.
    Parabéns pelo texto e por tudo que conseguiu aprender. Por mais que alguns relacionamentos não sejam eternos, acredito que eles sempre agregam alguma coisa na vida das pessoas (:

    Um super beijo e uma ótima semana! :*
    www.inconstantecontroversia.blogspot.com

    ResponderExcluir