31 outubro 2015

Feliz dia das bruxas!


Muito tenho visto nas redes sociais sobre não comemorar o Halloween por ser uma festa estrangeira. Gente desculpa, mas vivemos no país mais misturado do planeta, onde temos festivais do Japão, festas italianas, rodeios (que se não me engano teve origem na Espanha) entre outros. Assistimos todos os dias a filmes americanos, desenhos japoneses, ouvimos músicas inglesas e estadunidenses, vemos novelas mexicanas e venezuelanas entre tantas outras coisas, porque afinal precisamos nos desligar do Halloween que nem é tão forte em nosso país, para comemorarmos datas mais brasileiras? Ora, temos aí tantas festas o ano inteiro (lembrando que o Natal é a maior festa estrangeira do mundo) se realmente queremos comemorar algo autenticamente brasileiro, que comemoremos as datas do povo indígena, que são de fato os verdadeiros e reais originais desta terra.

Mesmo que nosso país não fosse misturado, qual o problema de pegarmos algumas festas estrangeiras? Afinal de contas, é uma festa diferente, cheia de magia e imaginação. Se você não gosta, respeite, assim como eu que não gosto de carnaval mas que não xingo quem vai pular a farra ou ver os desfiles de escolas de samba.

Por isso, se depender de mim vai ter Halloween sim, e se reclamar vai ter dois! Hahaha. Amo o dia das bruxas por ser na cultura pagã, o dia do ano onde o mundo espiritual está mais próximo dos vivos, onde uma tênue linha nos separa dos universos dos espíritos, fadas, bruxas e monstros. É um dia onde os rituais de magia ficam mais fortes, mais certeiros e onde podemos realizar grandes feitos! Bom, teoricamente hahaha. Infelizmente não sou pagã e muito menos bruxa, mas amo essa cultura e acho muito interessante. Por isso, resolvi fazer minha singela homenagem neste dia tão, mas tão especial para as bruxinhas mundo a fora.

Para começar, acho que todo mundo deveria rever esse trecho do Chaves, que mostra um dos episódios mais legais da série. É quando as crianças visitam a casa da Bruxa do 71, e lá a imaginação deles e os defeitos especiais tornaram esse episódio além de um dos mais famosos, um dos mais engraçados.

Eu sei que muitas festas ainda vão rolar essa semana, mesmo o dia 31 sendo hoje, dia 02 de novembro por exemplo terá a Zombie Walk em alguns lugares do país, como SP e Rio de Janeiro. Se você mora na região de SP é só clicar nesse link e conferir os detalhes do evento. Estou super afim de ir, me maquiar como vampira ou morta viva e me reunir com esse tanto de gente divertida. O que acham? É algo super legal e diferente para se fazer no feriado! Por isso, resolvi colocar algumas imagens como inspiração de maquiagem de terror para quem se inspirar em ir.

Eu não tenho a menor habilidade para fazer maquiagens tão incríveis. Mas dá para tirar boas ideias de cores e tons, para pelo menos conseguir se enturmar não dá?

Ainda neste clima de terror, vou postar dois contos super curtinhos e assustadores, para sair contando pros amiguinhos nas festas temáticas mundo a fora. De qualquer forma, terão coragem de dormir essa noite depois do que irão ler?

A loja especial da Madame Tawona

Madame Tawona não era uma médium comum. Você não vai encontrar o nome dela em qualquer lista telefônica, ou achar sua loja no google maps. Não, a MadameTawona faz questão de ficar longe desses lugares. Ela sabia que publicidade só lhe traria problemas, porque … Madame Tawona é uma especialista em causar a morte das pessoas. Logo, eu seria seu cliente.

Sua “empresa” ficava num porão bem no meio do centro de Atlanta. Sempre tinha um sem-teto bebendo na entrada da loja, me fazendo desligar daquilo tudo por um segundo. Após a chegada, e o pagamento, Madame Tawona me fez duas perguntas:
– “Quem você quer ver morto? Como você quer vê-lo morto”?
– “Um homem chamado Albert Cole.” Dei uma pausa e olhei ao redor da loja. “Quanto à forma, você parece … criativa o suficiente para pensar em algo”. Depois que terminamos, Madame Tawona escreveu algo em um pedaço de papel, colocou em um envelope e disse: “Abra quando quiser. É assim que ele morre”. Peguei aquilo e levei embora.

Três dias depois, Albert invadiu a minha casa descarregando um revólver na minha direção e errando todos os tiros. Corri para me esconder atrás da parede mais próxima e depois fugi para dentro meu quarto. Havia um telefone por lá e eu poderia chamar a polícia. “Eu sei sobre o vidente, ela me contou tudo”! Albert berrou loucamente. Tranquei a porta e liguei para a polícia. Lá fora, sem munição, Albert começou a chutar a porta. O atendente disse que a ajuda chegaria em breve. Ainda com medo, abri a carta da morte na esperança de ler algo como ‘morto pela polícia” escrito no papel. No entanto, a frase era: “Pena de morte por homicídio.”

O Garoto com a máscara

Eu adoro essas fantasias que as crianças usam no Halloween. Principalmente as clássicas como as do Batman e Super-Homem. Geralmente tem algo da Disney também, e este ano tenho certeza que irei ver pelo menos umas 20 Elsas por aí. Mas a fantasia daquela criança era diferente.

Estava eu de pé com minha porta aberta, olhando para um garoto que devia ter uns 6 ou 7 anos. Suas roupas estavam rasgadas e bem desgastadas, e sua máscara parecia um rosto cortado e cheio de sangue. Era realmente incrível. Fiquei até chocado de ver um garotinho usando uma fantasia tão sangrenta. Então resolvi dar umas duas barras de chocolate gigantes pra ele. O menino merecia.

Enquanto eu assistia ele ir embora, vi que a criança tinha uma máscara de hóquei pendurada na parte de trás do seu pescoço. Foi quando chegou um sujeito, que acredito ser o pai dela, xingando e falando para que colocasse de volta a máscara.

Agora uma clássica. Alguém aí sabe porque motivo é costume colocar uma lanterna na abóbora?


A vela na abóbora provavelmente tem sua origem do folclore irlandês. Uma vez um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo, não.

No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.

Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando. Os nabos na Irlanda eram usados como seu “lanternas do Jack” originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O’Lantern (Jack da Lanterna). na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa.
Agora vou encerrar porque sei que os textos ficaram muito longos. Espero que tenham gostado tanto quanto eu e aproveitem as festas sem preconceitos. Um grande beijo!

9 comentários :

  1. Hahahaha amei os contos! Mas do jeito que você falou pensei que fosse uma creppypasta hahaha, feliz halloween

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei em postar hahaha mas achei melhor procurar algo mais urbano.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Feliz halloween, amei o post.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu concordo em uma parte, porque não podemos pegar comemoração de outros países? Mas confesso flor, que o mês das bruxas não comemoro, mas liberdade é para isso né?
    flor tem post novo, se puder ver
    magrafelizpensa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro e qual o problema? Cada um comemora o que ama. <3

      Excluir
  5. Eu sempre gostei do Halloween por causa dos especiais, tb gosto de filmes com essa temática. A questão da cultura e tradição do paganismo só estou tomando conhecimento por agora, mas é bem bacana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ia postar filmes sobre o Halloween também mas achei que seria demais hahaha

      Excluir