23 outubro 2015

Sociedade mais preguiça? Falando sobre as "vacas"


Eu sei que tem menores de idade, meninas mais reservadas e muitos leitores que não costumam abordar esse tema no blog. Por isso, pretendo fazer isso da maneira mais respeitosa e calma possível, para não constranger ninguém.

A verdade, é que faz tempo que quero falar sobre, mas nunca tomei coragem. Coragem de abordar um assunto tão importante porém muito difícil de falar sem causar problemas.

Vamos lá.
Cada vez tenho escutado mais os termos: "Nossa que menina linda, pena que é puta" (sim, no português claro). Ou então: "Aff eu até acho ela uma garota legal, mas ela já é muito "rodada". Não serve para namorar".

Desculpa, mas quer dizer que nós mulheres que gostamos de sexo, praticamos o sexo e somos felizes em fazê-lo somos putas... Por que? Claro, não vamos banalizar esse ato. Muita gente (que por sinal é dono do próprio corpo portanto das próprias vontades e tem direito de satisfazer-se como bem queira) acaba por transformando a vontade de saciar seus desejos em "momentos". Ou seja, a menina não namora e de repente nem quer namorar, mas morre de vontade de passar uma noite com alguém. Então ela vai lá na balada da vida, escolhe um rapaz e faz o que tem vontade. Assim como ele, eu garanto que ambos saíram muito satisfeitos dessa noite sem maiores danos colaterais (sempre se protegendo pleeeease!). Isso é errado? Vamos pensar sobre...

Mas a verdade, é que sempre tive uma ideia super romântica sobre o sexo. Sempre imaginei que tínhamos de fazer com quem amamos, com aquela pessoa especial, para ser aquele momento só nosso. Não vou mentir, muito de mim ainda guarda esse sentimento. Não digo que hoje em dia, sou o tipo de garota que só faz isso com o amor da minha vida, com namorados ou etc. Não. Mas se eu escolho compartilhar meu corpo, que seja com alguém que eu admire, goste, tenha desejo mas acima de tudo respeite, queira bem. Essas são minhas condições. Eu não tenho medo nenhum de sair com um rapaz e transar com ele na primeira noite (podem me julgar hahaha!) mesmo porque já fiz isso, não me senti vagabunda e muito menos fui mal tratada por ele. Isso porque eu sempre fui segura sobre o que queria, sempre o fiz me respeitar independe de qualquer coisa. E além do mais, sempre fui honesta, sempre fui sincera sobre a "relação". Era aquilo, uma curtição, um momento bom, uma lembrança.

 Eu estou entre as jovens que amam sexo. Estou meeesmo, gosto mesmo. Mas não consigo sair com um cara porque o acho bonito e transar com ele. Não, pra mim é mais que isso. Preciso sentir confiança, preciso sentir química. Mas não julgo quem faz isso. Sabe por que? Porque estamos aqui para vivermos a vida da melhor forma possível. Para criar experiências, momentos, sentimentos, boas histórias para contar... Não digo que a menina romântica está errada porque também não está. Ambas fazem o que é melhor pro corpo e pra mente... Então porque só um lado da moeda é julgado?

Não que homens galinhas sejam bem vistos também... Mas eu também nunca tive preconceitos, apesar de claro, ficar com o pé atrás, sempre gostei de dar uma chance ás pessoas. Namorei dois galinhas na vida, e ambos foram super fiéis, legais e parceiros comigo. Isso não me fez os amar menos ou desconfiar mais deles... Eu confiava no nosso sentimento um pelo outro e isso bastava. Nem me importava com o que eles tinham passado ou vivido, enxergava aquilo como experiências que os fizeram amadurecer e se tornarem a pessoa que eu amava.

O maior perigo de "menina rodada" eu acho, são as DSTs. Por isso, sempre se previnam, por mais que vocês "achem que conhecem a pessoa" porque doença não tem rosto. Pode ser bonito, acima do peso, magrelo, branco, negro, alto, magro...
E talvez por isso exista todo esse preconceito e essa coisa de que menina que saí com muitos homens não presta. No fundo, acho que nesse ponto a pessoa pode ter uma certa razão, mas não podemos esquecer que a menina que saiu com dois ou três na vida toda também pode ter suas doenças.

Se cuidando e se amando tudo é válido para ser feliz.
A maioria dos meus amigos e amigas (pasmem) são pessoas que já transaram e beijaram incontáveis meninas. São pessoas que mantiveram vários relacionamentos durante a vida, que fizeram tudo o que queriam e hoje estão aí, namorando, casados ou solteiros da vida e sossegados... Mas isso não os tornou pessoas de menos valor. São honestos, de bom coração, divertidos e muito queridos.
Enquanto muitas meninas "santas" estão aí, falando mal de meio mundo, criando confusão, fazendo fofocas para prejudicar os outros, sentindo ciúmes por viverem na prisão dos "bons costumes". Não podemos julgar o caráter e o bom coração de uma pessoa, só porque ela ama sua casa (corpo) e de vez em quando traz umas visitas á ela.

A verdade é que a sociedade é tão hipócrita que me dá preguiça. Quantas vezes ouvi homens dizer: "Quero uma mulher santa na rua e puta na cama". Acha que foram poucos? Hahaha.
Isso não pode ser saudável, uma pessoa dessa deve ter uma auto estima muuuuuuito baixa, ou pelo menos uma visão de mundo bem pequena.

Então minha gente, Deus tá vendo vocês falarem mal da vizinha que adora sair pra balada e pegar uns bofes, enquanto vocês envenenam o gato de rua.

Parem de julgar por favor! Parem de dizer que ela é isso ou aquilo porque usa minissaia, porque gosta de sexo, porque ama sair á noite, porque não tem vergonha de admitir seus desejos.
Olhem como ela é uma ótima fotógrafa, uma excelente confeiteira, policial honesta, boa professora. Olhem como ela é doce e gentil com as pessoas independente da classe social, da beleza, do dinheiro. Olhem como ela é divertida, alegre, conta ótimas piadas. Olhem como ela tem bom gosto musical, assiste filmes inteligentes ou sabe tudo sobre política. Olhem como ela é uma boa companhia, uma excelente amiga e uma gentil pessoa.

O mundo é tão mais que rótulos, que xingamentos, que regras de uma sociedade cega...
Façam diferente, sejam diferentes! Se permitam amar, transar, viver e sorrir.
Deixem essas ideias fúteis de lado, analisem o ser humano antes da capa.

E vocês, homens e mulheres também, machistas e quadrados, se auto avaliem e digam: São felizes dessa forma? De verdade? Sendo intolerantes, ignorantes, cruéis? É mesmo possível ser feliz falando mal, agindo mal com as pessoas? Se for, tudo bem, mas eu não consigo e acho que não quero entender esse tipo de felicidade. Mas se não é possível mudar o pensamento para um mais tolerante, por favor, sejam menas e pelo menos respeitem as escolhas do coleguinha sem precisar chamar de puta, vaca, prostituta... Lembrem-se que vocês ainda terão filhas, sobrinhas, primas, e que elas podem ser pessoas incríveis e gostarem de sexo. De repente sua mãe é assim e você nem sabe, e você não a amará menos por isso, então respeite as filhas, sobrinhas, primas e mães dos outros. Respeite o amor dos outros.

6 comentários :

  1. Esse texto diz tudo, conheço alguém que foi julgado e todo sociedade sabia q aquilo não havia acontecido, todo mundo "menos as pessoas sem coração" porque algumas meninas sabem que não são santas e inventam mentiras pra prejudicar alguém que a gente ama, não estou generalizando porque tem gente boa que sofre realmente, mas.. enfim.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fato, precisamos olhar além dos preconceitos, que bom que gostou do texto ♥

      Excluir
  2. Texto fantástico! Infelizmente ainda temos um longo caminho pela frente e uma luta árdua contra essa sociedade machista. Precisamos de mais pessoas que pensem como você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E que venha a mudança nas novas gerações :D

      Excluir
  3. Infelizmente o Brasil é um país machista, e muitas mulheres são coniventes por conta da criação, medo de serem julgadas e tantas outras coisas. Quem sabe um dia a terra dos Tupiniquins evolua :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que sim, afinal sexo é algo fisiológico e com as devidas prevenções, que mal há? :)

      Excluir