14 dezembro 2015

Em 2015...


...Vi muitas pessoas reclamando desse ano em todos os lugares, pedindo que acabe logo. Talvez pela situação do país, mas a verdade é que não parece ter sido um ano bom. Pelo menos, pra muitas pessoas.
Posso me incluir nessa lista, por vários motivos. Vários MESMO. Logo de cara eu sofri bastante por causa de um rompimento (acho que vocês viram mil lamentações minhas por aqui hahaha), teve o fato da minha mãe dar uma piorada, a convivência com a vó ficar mais difícil, minha tia ter vários problemas de saúde bem complicados, a situação tensa no emprego do meu pai, eu ter sido demitida da RC por motivos fúteis, e no meio disso, para "ficar numa boa", resolvi me distrair. E como fiz isso? Me envolvendo com pessoas totalmente erradas. Sempre fui uma garota que não bebeu (e ainda não faço isso) ou fumou e usou drogas (também estou fora), mas conheci alguém que acabou me envolvendo num grupo de pessoas com todas essas questões. Drogas que fugiam da maconha básica que muitos adoram e iam para o patamar do "doce", "cocaína" e sei lá mais o que. Bebida a noite toda, porcaria a noite toda.

Eu não me orgulho MESMO dessa fase. Porque sinceramente viver não significa encher a cara até cair de bêbado (sim, eles caiam literalmente) ou usar drogas, para ficar "relaxado". Não significa sair numa balada e beijar mais de 5 pessoas numa noite incluindo as próprias amigas (novamente, não fui eu quem fez isso hahaha). A verdade, é que depois que entendi o que significava a frase "vamos fazer um corre hoje?" sai fora sem nem olhar para trás, e com muita coragem de ser feliz sendo eu mesma.

Tudo isso aconteceu no meio dos 3 meses trabalhando na RC, lugar onde aprendi a ser mais disciplinada, melhorei e MUITO as minhas habilidades por lá. Apesar de tudo que aconteceu, hoje olho para trás e só tenho a agradecer: toda experiência, todos os dias acordando cedo e chegando tarde em casa, todos os dias atendendo aquelas clientes lindas, limpando a loja, fazendo o caixa, passando fome com os 15 minutos de almoço, conhecendo pessoas espetaculares, fazendo amizades incríveis, dando muita risada, aprendendo a ser mais controlada e reservada, aprendendo sobre moda e o público classe A. Enfim, foram os 3 meses mais intensos e legais do ano. De verdade.

Em 2015 conheci um dos melhores amigos que poderia ter e agradeço todos os dias por ter tido a oportunidade de encontrar ele, meu ex namorado Víni que além de ser muito gente boa foi uma das pessoas que mais me ensinou sobre a vida. Um cara mais velho, mais vivido, que infelizmente não era meu par perfeito mas que como amigo, irmão, é tudo que pedi á Deus. Acho que encontrei uma das pessoas mais marcantes da minha vida (de verdade) em vários aspectos, porque além de bom amigo ele é um bom mentor. Me ensinou a ser mais calma, a esperar menos e a fazer mais, a correr atrás e me deu vários "tapas na cara" quando estava sendo irracional ou mimada.

Em 2015 aprendi a me valorizar de verdade. A me cuidar! Esse ano aprendi que vale á pena sim ter um cabelo lindo, uma pele legal, uma roupa bacana. E não estou falando de marca. Estou falando de um estilo, uma identidade própria, e que me sentir bonita não é um problema. Aprendi que se dane se tenho perna fina, quero usar shorts, vestido e saia. Aprendi a parar de me lamentar: "ah, mas tenho mancha nas pernas" - então por que não vai tratar? - "porque preciso esperar o inverno" - e quem disse? tome a iniciativa, vá lá ver qual é. E quer saber? Fui. Encontrei uma solução.

Em 2015 aprendi como os homens podem ser canalhas. Sim, canalhas mesmo. Na altura do campeonato que já estava bem, precisei descobrir que o meu ex (aquele mesmo que sofri no começo do ano) tinha bem me chifrado mesmo, para eu parar de dar uma de princesa disney e acordar pra vida. Aquele cara que eu julgava ser perfeito (pelo menos pra mim) fez a coisa que mais abomino e que não perdôo (me julguem hahaha) que foi me trair, mesmo que no fim do relacionamento. Isso, além de me decepcionar me fez parar de sentir todo e qualquer carinho, preocupação que tinha por ele. Sério, me lembro como se fosse hoje: No dia que a menina me confirmou tudo, senti muita raiva, muita mesmo. Dele. Queria ir lá quebrar a cara dele, gritar, xingar um monte, colocar fogo naquele peru torto dele. Mas no dia seguinte, depois de uma boa noite de sono espumando de ódio, acordei simplesmente não sentindo mais nada além de nojo. Juro como nunca senti tanto nojo de alguém na vida, aquela manhã senti dele. Depois, passaram-se dias e eu não conseguia sentir mais absolutamente nada. Hoje mesmo, eu olho para trás e tudo parece tão distante... Quase como um sonho, guardado no passado. É como se tudo que vivemos fosse tão frágil como uma nuvem de poeira, e cada vez mais essa nuvem de poeira está se dissipando pelo vento, indo embora, pra bem longe. Hoje não consigo mais sentir nem curiosidade de saber se ele está bem ou mal, como sempre tive por todos os meus ex, porque considero-os especiais e quero a felicidade dos mesmos. Hoje simplesmente, me sinto livre de um jeito que não sei explicar. Pela primeira vez, sinto que estou tão, mas tão bem sozinha (de verdade) que não preciso e não quero um namorado tão cedo. Acho bacana sair, me divertir, conhecer novas pessoas, mas me amarrar assim, "tão cedo" parece tão triste. Parece que de repente criei tantos objetivos novos, que quero e posso cumprir sozinha, que parece muito mais interesse voar livre por aí do que acompanhada por enquanto.

Em 2015 aprendi a importância das pessoas. Dos momentos. Aprendi que deletar o facebook abriu muito mais a minha mente, que hoje eu sou uma pessoa mais dinâmica, mais pro mundo, que é muito mais gostoso acordar e pensar: e aí? Pra onde vou hoje? Do que acordar e ir direto pro pc ficar vendo a vida do outro.

Esse ano aprendi tanto sobre mim mesma e sobre as pessoas. Ganhei tanta experiência de uma vez, que normalmente as pessoas demoram anos para adquirir, e talvez por isso mesmo tenha sido tão duro, tão intenso e assustador. Sofri um bocado. Tomei bem no olho do furico mesmo. Esse ano fui mais Anette que Floor Jansen. (entendedores entenderão).

O que tirei desse ano: seja corajosa, seja firme, não tenha medo de ser você, não tenha medo de viver coisas novas porque de repente elas podem ser MUITO melhores que coisas planejadas.

Eu sei que está um pouco cedo para fazer esse post, mas a verdade é que estarei ocupada esse mês por motivos que logo vou explicar pra vocês, e não sei quando pode sair um novo. Queria então, deixar tudo isso registrado. ♥

Post escrito ao som de: ___ e ___.




10 comentários :

  1. Realmente não foi um ano mt fácil pra todos em geral e pelo visto pra vc tb não rs, mas que bom que vc conseguiu ver o lado bom da maioria das coisas e o fato de ter aprendido a se cuidar tb é bem legal rs. O importante é agradecermos a Deus por cada novo dia que nasce e temos a oportunidade de estar vivos pq só não tem problema quem já morreu ne rs!
    Já to seguindo o blog, se puder me segue tb, bjus!

    bomhumornaosaidemoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, 2015 não deixará saudades hahahaah ♥

      Excluir
  2. Que bom que vc fugiu do "corre" rs. Tudo é aprendizado e quanto mais nos conhecemos, quanto mais nos voltamos para dentro, mais somos felizes. Aprendi esse ano que semelhante atrai semelhante, e isso de atrair, aprender é questão de consciência vc estava com um grau de entendimento antes mas ao ler seu texto percebi que vc evoluiu, e sei que vc sabe que cresceu. Estou na torcida por sua felicidade :)
    Ps. peru torto, eu ri aqui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah carolzita, temos que evoluir sempre né? hahahaha ♥

      Excluir
  3. Eu já me envolvi num grupo de amigos que usavam drogas e bebiam muito, mas foi na adolescência e ao invés de sair do grupo eu consegui "trazer" eles pro meu lado, mostrei como a vida deles seria melhor nada naquilo (claro que alguns não consegui.. mas a grande maioria hoje são pessoas melhores).
    Mas meu amo de 2015 foi péssimo hahaha
    Kisses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, no meu caso foi meio sem querer, mas saí a tempo

      Excluir
  4. ''Não tenha medo de ser você e viver as coisas novas que não foram planejadas'' Aprendi isso também e quero levar para 2016 comigo!!! Adorei. Beijos, www.nossomosmoda.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mari!
    Sabe o que eu acho lendo este post, que 2015 não foi um ano ruim para você. Pode ter sido um ano difícil, mas não ruim. E por que digo isso? Olha só a quantidade de coisas que você disse que aprendeu! Foi difícil, foi? Mas 2015 te mudou para melhor! Você amadureceu e ler isso no seu post me encheu de sentimentos bom. Só pelo o que li aí, você está mais segura de si, mais consciente dos seus limites, mais sábia. Acho mesmo que você tem que ser orgulhar da sua jornada e das decisões que tomou, porque você nos deu uma aula de como ser alguém melhor.
    Seu 2015, visto por este aspecto, deu de 10 a 0 no de muita gente por aí!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
  6. Você tem razão, mas eu quero que acabe, quero levezas e não durezas

    ResponderExcluir