19 janeiro 2016

A gente se permite


Eu nunca falei sobre esse assunto tão abertamente aqui. Na verdade em lugar algum, só com amigos ou conhecidos. Eu tive um ex namorado que amei tanto, mas tanto que deixava para lá todas as coisas absurdas que ele fazia comigo só para manter o relacionamento. Eu passei por cima de situações que hoje em dia, eu jamais faria. Passei por cima do dia em que minha avó faleceu e fomos ao enterro, eu estava já muito abalada por ter visto a mesma na UTI cheia de tubos e em coma, onde aconteceu uma situação deveras impressionante com nós três (eu, avó e pai). No dia do enterro chorei demais, fiquei muito sentida por ser a primeira parente que eu via morrer. A primeira pessoa realmente próxima. A pior parte certamente foi ter visto o caixão ser coberto por terra, meu pai e seus irmãos abraçados chorando e o coveiro com um semblante de dó cobrindo o caixão com aquele marrom avermelhado. No mesmo dia, resolvi ir para a casa dele, pois eu queria me distrair e ficar com pessoas que não estivessem tão para baixo quanto eu, e em minha casa isso não aconteceria. Chegando lá, os familiares do mesmo vieram me dar os pêsames enquanto ele ia alegremente para o quarto. Pediu para que fôssemos ao shopping, ele queria comprar um ou dois jogos pro video game, achei que seria uma boa ideia para me distrair e aceitei a oferta. Chegando lá, ele estava realmente muito feliz, estava cantando e contando piadas como se fosse um dia normal. Irritada, falei: Será que pode ficar menos agitado? Ele respondeu: É que eu estou muito feliz hoje! Levei um leve choque momentâneo, então retruquei: Acabamos de enterrar minha avó, você não sente nada sobre isso? Ele se calou.

Naquele momento, pude perceber que quando coisas ruins aconteciam á pessoas que ele "amava" ele simplesmente não conseguia dividir a dor com elas. Ele só ficava realmente triste quando algo ruim acontecia com ele. Primeiro ponto negativo da relação: Incapacidade de se colocar no lugar do outro.

A próxima situação, ocorreu quando estávamos em momentos íntimos. Ele sempre acabava sem se preocupar com o meu prazer, apenas com o dele, seguidamente ia dormir, jogar video game ou comer me deixando totalmente sozinha. Eu sempre me senti muito mal, e expliquei á ele o motivo. Aos 10 anos de idade sofri uma espécie de abuso, onde um amigo mais velho do meu irmão me molestou e só não conseguiu o que queria por sorte. Isso ficou gravado na minha cabeça por anos, me fazendo fechar-me pro mundo e pro amor até meus 18 anos de idade. Para terem ideia, meu primeiro beijo foi aos 20. Portanto, o modo grosseiro como ele me tratava na intimidade sempre me deixou com sentimentos parecidos com os do abuso, faltava carinho. Expliquei tudo á ele, e pedi que ele fosse amoroso. A resposta do mesmo foi: Não existe amor ou carinho nisso, é só instinto. Não posso fazer algo que não é real pra mim. Desculpa, mas se for carinhoso com você, estarei sendo falso.

Depois daquele dia nunca mais consegui ser a mesma no íntimo, sempre fugindo do mesmo. Procurava desculpas absurdas para não fazer amor, como por exemplo dizer que não estava depilada ou que não tinha me lavado adequadamente (sim, eu não era muito criativa) ou quando tinha de fazer, não me esforçava o mínimo por ele. Deixava que o mesmo fizesse lá o que queria sem muita participação minha, ligava a TV e ficava assistindo até ele terminar. Segundo ponto: Total falta de respeito e consideração.

Outra coisa que marcou muito, foi quando fomos á Av. Paulista em um dia que eu não queria sair. Resolvi que deveria ser menos nojenta (sim, porque antes era tudo "o que eu queria fazer", e quando tinha que fazer algo que não estava afim, simplesmente ficava com cara de ânus o dia inteiro). Portanto, fui logo tratando de ser simpática com ele, de ir em cada lugarzinho que ele queria, de dar risadas e aproveitar o dia. Mas como resolvi ir de coração aberto, também aproveitei o dia e gostei muito, mesmo ele não tendo encontrado nada do que procurava, foi um dia que pra mim valeu demais á pena, porque eu realmente me diverti muito. No fim do dia, ele muito emburrado disse pra mim: "Você percebe que viemos aqui porque eu queria e você se divertiu mais que eu?" Ele estava bravo comigo, de verdade.

Foi quando notei que a frustração dele não permitia que ele fosse feliz ou que me visse feliz. Terceiro ponto: A minha felicidade não o deixava feliz, a única coisa que importava era ele.

Mas não quero ser injusta. Não posso tirar de três situações um relacionamento inteiro. Em muitos momentos ele tentou de tudo para me ver feliz, fez surpresas e foi carinhoso. Mas com o tempo, coisas como essas foram acontecendo. E cada dia mais.

Crises de ciúmes que custavam celulares quebrados. Socos na parede para "não me bater". Afastar meus amigos de mim e me deixar quase sem nenhum. Não permitir que eu fosse amiga da irmã, porque ela era lésbica e poderia dar em cima de mim. Não querer viajar com a própria família sem mim, para que eu não me sentisse no mesmo direito.

Avaliando desta forma, nosso relacionamento foi muito, mas muito mais infeliz do que feliz. De fora, parecia perfeito, mas sabe como é? Por fora bela viola, por dentro pão bolorento.

O que eu quis dizer contando tudo isso á vocês? Que a culpa de dois anos sofridos e horríveis foi de um ex louco? Não. Foi minha. E sabem por que? Porque eu PERMITI. Isso mesmo que vocês leram. Eu permiti que ele escolhesse minhas roupas, meus amigos e minhas saídas. Eu não tinha amor próprio e por isso a baixa auto estima que eu tinha virou nula. No fim, eu andava com roupas largas, cabelo preso, sem maquiagem e sem perfume. De chinelo mesmo. Eu era ridícula. Eu era largada. Eu amava tanto uma pessoa que a coloquei acima de mim e isso NÃO PODE. ISSO NÃO DÁ CERTO. ISSO SEMPRE, SEMPRE ACABA MAL!

Muitas das situações que a vida nos leva e que permitimo-nos que façam e decidam tudo por nós, gera resultados catastróficos.

Acho que se começarmos a permitir que a felicidade, que a ousadia e o novo entrem em nossas vidas tudo pode ser diferente. De repente você está para baixo porque está se permitindo estar. Por mais que a vida esteja difícil, não deixe de ir ao parque, ao shopping, á praia. Sorria, dance na chuva, coma aquela gelatina deliciosa de morango. Escute sua música favorita, reveja seus filmes mais amados, converse com amigos antigos que tem saudades, compre uma roupa totalmente diferente do que costuma usar e arrisque-se. Vai se maquiar, coloca seu melhor vestido e saia pelas ruas da cidade. Não se deixe nunca, ser usada pela vida. Use a vida, você.

Hoje você já se permitiu usar sua melhor roupa para ficar em casa? Já se permitiu cortar o cabelo e mudar o visual? Já se permitiu tomar um banho de piscina inesperado? Hoje, o que você se permitiu?

6 comentários :

  1. oi, oi.

    poxa! que barra que tu passou ao lado desse cara. mas, no meio de tanta coisa ruim, veio um grande aprendizado, né?! sou desses que tenta tirar uma lição sempre diante das coisas ruins. espero que hoje esteja tudo tranquilo pra ti. e sim: a gente tem que estar com uma pessoa, mas não se privar da felicidade.

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi bem difícil hahaha, mas valeu! Obrigada ♥

      Excluir
  2. Amei o texto, e que bom que você resolveu compartilhar.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Marina!! *-* De boas??
    Cara, que nojo desse homem...sério que ele ficou irritado porque tu se divertiu mais que ele no dia que saíram juntos? Putz, tá doido é.

    "Não existe amor ou carinho nisso, é só instinto. Não posso fazer algo que não é real pra mim. Desculpa, mas se for carinhoso com você, estarei sendo falso." Que falta de compreensão da parte dele...

    Realmente se for para trazer felicidade á nós, então permitir certas coisas pode ser bom. Eu nunca namorei, mas se um dia eu namorar, que eu saiba dizer bem a palavra "não" caso alguém queira me limitar em certas coisas e que eu saiba também por o ser em seu lugarzinho se passar dos limites :v.
    Para você ver né, que mesmo sendo algo ruim, é possível aprender com isso.

    Enfim, pude aprender uma lição nova depois desse post, deu vontade de aproveitar verdadeiramente a vida também >.<

    Bye bye!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis mostrar que muitas coisas ruins realmente acontecem porque deixamos, porque se quisermos tudo pode mudar. E fico tão, mas tão feliz que tenha entendido *-*

      Excluir