26 janeiro 2016

Mulheres x Mulheres


Desde meus 8 anos de idade, quando entrei no maravilhoso mundo chamado "sociedade" descobri coisas sensacionais sobre as pessoas em geral. No caso, hoje, vou me especificar nas mulheres. Lembro que eu era meio isoladona das meninas por motivos de diferenças de personalidade mesmo. Como exemplo, vou fazer uma listinha super marota pra vocês entenderem.

(Clique na imagem para aumentar o tamanho)

Ou seja, eu era um meio termo entre garotos e garotas. Eu ao mesmo tempo que gostava de brincar de bonecas, me vestir feito princesa, assistir contos de fadas e conversar sobre materiais escolares, também gostava de brincar de luta de espadas, bolinha de gude, inventar histórias de fantasia, assistir pokémon e me inspirar no Star Wars e Karatê Kid. (Sim, eu assisto SW deeeeesde muito antes de lançarem os episódios I, II e III nos cinemas). 

Isso, por algum motivo e especificamente no ambiente escolar me fez ficar isolada por alguns anos dos círculos das meninas. Era uma coisa bem filme americano de patricinhas, onde as "top menininhas" da sala ficavam em um canto se maquiando (sim, com 8 anos elas se maquiavam) ou escrevendo cartas de amor para os meninos que elas amavam e que obviamente não tinham o menor interesse em namoros naquela idade.

Eu também não entendia bem esse negócio de gostar de um garoto e isso me deixou de fora. Ao que notei, o fato de não querer namorar ninguém me transformava numa completa esquisita.

Eu nunca vi outras meninas com olhos de rivalidade. Para mim, eram pessoas como outras quaisquer e a única coisa que mudava eram os "pipis" hahaha. Mas aparentemente poucas meninas da minha idade pensavam da mesma forma, e normalmente meninas assim nascem aos poucos e vai cada uma pra uma sala diferente da escola, bem pra ficar isolada mesmo.

Uma saída era tentar me adequar e fingir que gostava das mesmas coisas. Até tentei... Mas aquele negócio de ficar seguindo o menino que a amiga gostava no intervalo, ficar falando do gel no cabelo do fulano ou onde eu comprei meu glitter para cabelo realmente não eram a minha.

Resolvi então que iria seguir o que eu gostava e que ficasse perto de mim quem quisesse. Mesmo porque era difícil para uma fã de Red Hot Chilli Peppers ficar escutando Sandy e Júnior. Não dava.
Então, percebi que tinha muita facilidade em fazer amizade com os meninos da sala, porque apesar de não gostarem de brincar de bonecas, era muito divertido falar sobre o episódio novo do YuGiOh! ou brincar de pega ladrão. Então de certa forma, eu me divertia bastante e não sentia taaaanta falta de uma amiga mulher.

She never knew
That there was anything more than poor
What in the world
Does your company take me for?
Black bandana, sweet Louisiana
Robbin' on a bank in the state of Indiana

Claro que com o tempo lá pra minha terceira série consegui entrar no mundo feminino da coisa e ser amiga de ambos os lados, mesmo que algumas garotas da sala ainda me achassem estranha, me tratavam bem (tirando os isolamentos, óbvio) principalmente porque eu não representava uma ameaça.

Vejam que tudo isso que relatei ocorreu dos meus 8 aos 10 anos de idade. Nesse espaço de tempo as meninas que deveriam estar preocupadas em serem CRIANÇAS estavam preocupadas em seres AS MAIS BONITAS DA SALA.

Daí hoje o que temos aqui? Um bando de imbecis alienadas, que ficam fazendo 12 horas de academia por semana e tomando altas bombas, enfiando silicone e fazendo tratamentos estéticos cada vez mais jovens. Outro dia no instagram me deparei com duas meninas LINDAS DE MORRER, que para mim tinham lá seus 25 anos de idade pra mais. Pasmem, eram menores de idade, com 17 anos. Elas já estavam fazendo tratamentos contra estrias, lipoaspiração, colocando silicone nos seios e bunda e até bronzeamento artificial. Juro, elas tem milhares de seguidores nas redes sociais e se consideram famosas por isso. Famosas pelo que? Por serem jovens super gostosas e lindas que ficam postando fotos de biquíni e das viagens caras? Me desculpa, mas pra mim uma pessoa realmente famosa que mereça respeito, é aquela que escreveu uma obra sensacional por exemplo. E hoje em dia, o que mais vejo é isso. Meninas que ficam se preocupando com o corpo e esquecem do resto.

Aliás, que geração LIXO a nossa hein? Desculpa falar assim, mas eu morro de vergonha de falar que sou dessa geração de redes sociais e academia no pain no gain. Faz quantos anos que não vejo músicas espetaculares bombando por aí? Sabe o que bomba? Pop barato, com auto tune. Cade os grandes livros, que viram filmes inspiradores? O que eu vejo por aí são livros como "Não se apega não" e "Muito mais que 5 minutos". Ou seja, meninas que ficaram famosas no youtube por serem bonitas e ricas, porque sim é por isso. Aliás, quando a Kéfera era gordinha e feia ela era quem mesmo? Essas youtubers de sucesso (a maioria) são famosas por postarem "Tour no meu quarto"; "Meu guarda roupas" etc.

Concordo que é legal e eu mesma assisto ás vezes. Mas quando vou fuçar mais o canal, é só isso mesmo. Não tem mais nada de interessante pra passar pras pessoas além de tutoriais de maquiagem e resenhas de produtos de beleza.

Gente, OI, TUDO BEM? VAMOS FALAR DE COISAS BOAS? PODE SER TEKPIX. TÁ VALENDO!

E tudo isso aglomera com o fato de que as meninas desde pequenas são doutrinadas a competirem umas com as outras! "Mãe, quero uma mochila igual da fulana porque é mais brilhosa que a minha". Misericórdia. Ás vezes fico tão sufocada com isso, e o melhor de tudo: Se você fala algo que não concorda á respeito de outra MULHER, você é uma ridícula que tem inveja do corpo maravilhoso de fulana. Aposto que já ouviram isso por aí por criticar alguma garota por qualquer motivo que seja.

E isso é algo que não existe praticamente no universo masculino.
Os caras são muito de boa com eles mesmos e não rola essa coisinha de inveja e fofoca (embora isso tenha crescido nos últimos tempos).

É aí que paro e penso: Se a nossa geração já está nesse nível de alienação, como serão os filhos da nossa geração? Será que eles serão tão estúpidos ou mais do que nós?

Tudo o que aconteceu comigo na praia foi uma grande prova de tudo isso. Gente, hoje em dia é difícil você realmente ter amigas. Eu não sei o que está acontecendo com o ser humano, mas olha, estamos conseguindo chegar no nível máximo de burrice.

O fato de eu ter me tornado muito mais acessível aos rapazes (no sentido de falarmos e gostarmos dos mesmos assuntos) acabou me gerando várias acusações e constrangimentos na vida, como por exemplo no colégio quando o namorado da minha melhor amiga começou a dar em cima de mim no falecido msn, e sabem o que eu fiz? Tirei print e mandei tudo pra ela. Sabe o que aconteceu? Eles continuaram ficando, ele veio tirar satisfações comigo e depois de uns meses voltou á dar em cima de mim e eu tive que escutar a garota dizer pra todos os nossos amigos para nunca apresentarem os namorados para mim, que ela mesma nunca mais o faria.

Oi?
O problema não era que o cara era um sem caráter do caramba?
E sim que eu era "muito legal e atrativa" pros rapazes como ela mesma disse?

E o que aconteceu na praia anos mais tarde? A mesma merda. E se querem saber já passei por outras situações parecidas e sei que muitas de vocês também passaram. É engraçado não é? O modo de agir de algumas pessoas. Eu realmente não sei se é muita baixa auto estima mesmo ou se é um problema que sempre existiu entre as mulheres e que hoje em dia está mais aflorado.

Claro que tenho amigAs, e que sei que nem todas as garotas são idiotas á esse ponto. Mas ao mesmo tempo, me surpreende o número de jovens que ficam esfaqueando as amiguinhas no noticiário, só porque ela é considerada a mais bonita da escola. Então gente, OI. Tudo bem? Terapia tem até no plano de saúde da sua empresa, vai e faz.

A melhor coisa no mundo é se bastar. Se inspirar e admirar outra pessoa é super saudável. Mas invejar e odiar a coleguinha é ruim pra cacete e ruim pra você. Não pra ela que tá lá vivendo a vida dela numa nice.
E por favor, não pirem. Não entrem nessa onda de corpão e riqueza. Vamos ser felizes e ajudar uns aos outros que é o que importa. Façam sim academia, fiquem gostosas, mas façam isso principalmente pelos motivos certos: ficar saudável e NO SEU PESO IDEAL. Não exagerem, não tomem medicamentos para emagrecer sem consultar um médico.

Vamos sair do instagram e começar e viver as nossas próprias vidas. E se possível, parar de achar que as colegas são nossas inimigas, porque sério, elas não são.

12 comentários :

  1. Me alivia ler um texto como o seu, pois estava começando a achar que eu estava meio pirada com o mundo e que ninguém tinha a mesma visão como no seu texto.
    E bem, não tenho muito a acrescentar, pois concordo com cada vírgula e já passei por umas situações chatas, não nesse nível que você citou, mas já passei e foi desagradável!

    Beijos e boa semana ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, parece que o mundo está de cabeça para baixo x.x

      Excluir
  2. Post bem organizado, amei, super legal.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. amei o texto <3 adorei a sua ideia é realmente oque penso :0
    amei o blog e já estou seguindo
    bjus da Kim <3

    http://meeninadamoda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz meu amor! Logo logo estarei te visitando ♥

      Excluir
  4. oi, oi.

    ai meldels! tu merece um abraço de urso por ter escrito esse textão cheio de verdade. há algum tempo eu venho fazendo essa mesma reflexão e achando que eu sou invejoso, pq vejo geral com trocentas coisas e eu com nada. o mesmo lance rola no instagram. vejo o povo lá ostentando pra caralho e eu com as minhas fotinhas bonitinhas de coisas do que meu quarto. hahaha.

    infelizmente, o mundo virou uma competição e foda-se... que vença o melhor. eu to fora dessa disputa pq não preciso disso pra ser feliz.

    e os canais no youtube?! eu parei de acompanhar todo mundo pq via que só perdia tempo. tem uns que produzem coisas bacanas, mas nem esses eu acompanho mais por puro cansaço dos youtubers.

    bjs
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda sigo alguns que considero, mas cansei da maioria e não acompanho
      mais os mesmos canais que antes. Acho que o dinheiro venceu. Né?

      Excluir
  5. UOU Marina, que texto ótimo!!11!!
    Eu acho que venho segurando isso tudo entalado na garganta também, porque quando li foi maravilhoso ver que outra pessoa pensa o mesmo e conseguiu botar tudo pra fora.
    Eu fico com pena da minha irmã, que tem 11 anos hoje, e nunca vai ter a experiência de infância que eu tive. Hoje é tudo diferente e eu me surpreendo muito vendo como são as coisas e o que as meninas da idade dela fazem. Hoje elas são fãs dessas mesmas garotas que você mencionou, minha irmã não brinca na rua, não sai pra escorregar no barranco e nem andar de bicicleta na rua. Ela fica em casa vendo séries, o dia inteiro. Tá certo que um pouco disso é culpa minha, por influenciá-la a ver séries, mas não esperei que seria tão parte da vida de uma menina de 11 anos... e é engraçado porque o mesmo acontece com a minha cunhada e assim vai.
    Fui uma criança assim como você, nem totalmente menininha e nem um menino completo hahaha ~aqueles esteriótipos de sociedade~ e fui muuito feliz com isso, mesmo que acabasse me custando algumas "amizades"... pelo menos eu comecei a ganhar a amizade dos meninos, que as vezes conseguiam ser muito mais legais, e isso continuou pra adolescência e etc, e graças a tudo isso, acabei namorado o meu melhor amigo hahaha
    Enfim, te agradeço por esse texto, de verdade, espero que algumas pessoas que realmente precisem levar isso pra vida, leiam e entendam...
    Beijoss
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz que seja como eu hahaha. Mas uma dica, pega sua irmã e leva pro parque, faz ela respirar ar puro e conhecer outras crianças. Você é a maior inspiração dela, portanto faça coisas mais simples que ela vai te seguir e vai adorar ;)

      Excluir
  6. Maravilhada com esse post, falou e disse!!!
    Acho super chato essa "competição" que várias mulheres criam e daí como você disse, se contrariar alguma coisa, é considerada invejosa (ou recalcada, sei lá).
    Eu quando criança eu nem me importava com beleza, maquiagens e essas coisas, tava de boas do jeito que eu era, mas por isso tive que ouvir certas vezes gurias reclamando do meu jeito :v. Uma vez uma amiga naquela época me falou "fernanda, tu não sabe usar teu olho!!!!" num tom nojento me criticando, porque eu não passava maquiagem no meu olho...creeeeeedo
    E também fui sempre alguém que gostava de coisas diferentes das outras :p

    Ai, se tem algo que eu não gosto é de fofoquinha, sério, daí as vezes falam mal de pessoas que a gente gosta, que a gente acha bacana...ainda bem que as minhas amigas da escola não são muito de fofocar e gostam mais ou menos das mesmas coisas que eu.
    E eu não entendo essas namoradas que quando o namorado delas dão em cima de outras, elas vão e reclamam com a menina, tipo?? Se um dia eu tiver um namorado e eu receber algum print dele dando em cima de alguém, termino na hora com o garoto e agradeço é quem me passou o print, credo, não tem que passar a mãozinha na cabeça desses loucos.

    Enfim, parabéns pelo post!! Concordo bastante com você e é ruim esse tipo de coisa mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Nandinha, você é tão novinha e já é tão adulta *-* fico tão feliz, e meu conselho é: seja sempre você mesma, seja honesta SEMPRE, porque acredite na tia, se alguém fala mal de uma pessoa pra você, vai falar mal de você pra essa pessoa tbm :)

      Excluir