25 junho 2016

Novidades!


Minha avó tem 96 anos. Ela nasceu em um navio vindo da Espanha pro Brasil em 1920, viveu numa colônia durante sua vida de criança e adolescente, conheceu meu avô Antônio igualmente espanhol e se casou. Sua vida na roça era dura e sofrida, trabalhou anos nas plantações e cuidando dos animais da fazenda, o que a fez pegar carinho especial por vacas e passarinhos. Inicialmente na sua casinha de casada, sua mesa de cozinha era um caixote. Ela era exímia cozinheira e fazia as tarefas domésticas muito bem, mesmo não gostando. Meu avô nunca desistiu e trabalhou muito para que pudessem se mudar pra SP. Tiveram sua primeira filha, Rita, minha tia. Aos 7 meses de idade, ela teve uma meningite e por serem pobres e não terem acesso á medico, a febre de 40º queimou alguns neurônios da bebê a deixando com retardo de aprendizagem. Hoje com 71 anos, a idade mental dela é de 8. Depois de 11 anos tiveram minha mãe, Vera. Quando ela tinha uns 5 anos, se mudaram para São Vicente, onde viveram até minha mãe ter 15 anos. Uma infância pobre, porém cheia de alegria.

Voltaram pra SP, desta vez em Guarulhos. Estavam bem de vida, compraram uma banca de jornal e se tornaram conhecidos no bairro. A partir da banca, minha avó com a ajuda do meu avô aprendeu á ler e escrever, pois tinha muito tempo parada na banca e nunca tivera essa oportunidade.

Minha mãe conheceu meu pai, e começaram a namorar. Uns anos depois, meu avô com diabetes ficou muito doente, e minha avó teve que autorizar que amputassem suas pernas. Ele passou anos na cadeira de rodas, e fazia de tudo, não era preguiçoso e tinha um bom coração. Depois da sua morte, minha avó ficou muito triste e sozinha. Minha mãe resolveu se casar com meu pai, e construíram uma casa nos fundos do quintal pra poderem cuidar da minha avó e da minha tia.

Eu teria muito mais para contar, mas aí sairia do foco. Quero dizer que minha avó, Assumpção é uma das pessoas mais guerreiras e queridas que eu tenho. Fiquei imensamente feliz que a cirurgia foi um sucesso e ela está em casa, andando com ajuda de um andador! Verdade, ela é uma pessoa difícil e rústica, ás vezes dá vontade de largar tudo. Mas sinceramente? Ela me amou e cuidou de mim toda minha infância enquanto meus pais trabalharam. Fazia bolos no meio da tarde pra eu cantar parabéns, assistia novelas mexicanas comigo á tarde... Então, mesmo que ela seja difícil, não vou abandoná-la.

Esses dias todos de ausência, além de cuidar dela, estávamos cuidando da minha tia e mãe. Então imaginem várias fraldas pra trocar, almoço pra fazer, limpeza, compras etc. Eu realmente estou aprendendo á cozinhar e me surpreendendo. Também fico feliz de estarmos conseguindo.

Por isso, ficarei um tempo sem postar direito, até que minha avó melhore mais e possamos voltar com nossas vidas.

Mas não pensem que ela está tão mal. Outro dia, ela me pediu pra dar banana e ameixa pra ela. Eu fui lá, cortei tudo bem cortadinho e dei. Ela decidiu que não ia comer a banana porque não queria mais e que a ameixa precisava estar sem a casca --' ou seja: ela abusa MUITO viu? Hahahaha. Mas essa é minha cômica avó.

No momento, estou muito cansada e cheia de coisas pra fazer.

Tenho que dormir cedo tipo umas 10:30 já estou mais que morta na cama. Acordo por volta das 6-8 da manhã. Nesse tempo que elas não acordam eu fico vendo gameplays ou filmes no celular. Basicamente não tenho muito tempo pra mim ultimamente hahahaha. Mas pelo menos consegui comprar uma camiseta LINDA da John John pro meu pai que falou que era muito gay, e meu batom roxo que eu até estava sonhando com ele! Agora tô sonhando com mc donalds hahahaha. Enfim, isso tudo é pra falar como andam as coisas. Obrigada á todos! ♥♥♥

4 comentários :

  1. Que história linda da sua avó. Uma guerreira mesmo. Emocionante.
    Adorei seu blog.
    http://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que linda você, que amor <3 realmente não é fácil e quando ficam idosos as vezes ficam um pouco bravos, porque eles querem a sua vitalidade de volta. Meu pai quando ficou de cama, eu tinha que virar ele de 10 em 10 minutos, porque ele queria se movimentar e não conseguia sozinho, mas graças a Deus ele melhorou. É uma luta diária, mas com Deus e muito amor, nós vencemos tudo. Feliz em saber que sua avó está em casa *.* beijos
    Charme-se

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Que história mais linda e emocionante.
    Melhoras para ela.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  4. Que linda história, desejo muitas melhoras para sua vó guerreira <3
    Beijos*
    http://umminutoumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir